ser leve,







Da janela da mesa de trabalho, fico observando as árvores ali da rua de nome de estado brasileiro e o vento brincando de dança com as suas folhas, uma a uma, que caem amareladas e tímidas no asfalto de mais de trinta graus, aí, de repente me bate uma vontade de leveza, de dente-de-leão, de virar sopro, poesia pura. Pudera eu, viver assim o tempo todo, assistindo dança bonita, sentindo o vento se enroscando pelas ondas douradas dos cabelos longos e feito música que embala sonhos, f-l-u-t-u-a-r caminho a fora, sem esse disse-me-disse de cidade grande. 
Da janela, vejo um pedaço de céu que em tarde de sol a pino me parece mais um bordado, com essas nuvens aqui e acolá salpicadas nesta imensidão azul. Mais parece algodão, colchão pra sonhar e ler tudo que é história bonita lá de cima,  feito borboleta multicolorida. Quisera eu ser passarinho, ter o dom de cantar, encantar, bailar com o vento... voar.  Quisera eu ser vento, brisa, ser pluma... ser melodia que se ouve em silêncio, tirar tudo que é pesado do bolso e ser leve, e só.  Quisera eu ser dente-de-leão, voar de cabeça pra baixo e mais nada.




Um amontoado de palavras 

e sentido algum. 

Urgência sufocante de brisa, 

de vento. 
Realidade demais pra tanto sonho. 



19 comentários:

  1. Só lindo. Sem mais.
    Deu vontade de leveza. Ser dente-de-leão.

    Bjws. *--*

    ResponderExcluir
  2. Muito bom, pequena.

    Um pequeno texto imagético e colorido como este é um baita refresco em uma noite quente como esta. Parabéns pelo bom trabalho literário!

    Fanti

    ResponderExcluir
  3. Se a ideia era colocar uma paz deliciosa em meio a esse sexta-feira quente, você conseguiu com louvor.

    Essa descrição é suave ao ponto de nos anestesiar. De querer fotografar esse momento que suas palavras pintam.
    Nessas horas vale parar o tempo e respirar fundo.

    ResponderExcluir
  4. Que delícia, deu vontade de voar, sem direção, pra onde o vento quiser. Lindo, como sempre :)

    ResponderExcluir
  5. Adoro essa música do jack Johnson.
    "Quisera eu ser vento, brisa, ser pluma... ser melodia que se ouve em silêncio, tirar tudo que é pesado do bolso e ser leve, e só."
    Eu acho, de vez em quando, que seria ótimo poder voar, não para fugir, mas pra poder tirar um tempo só consigo mesmo, não pensando em nada, só sentindo o vento, a paz.

    ResponderExcluir
  6. Ah, queria eu ser assim...

    Como seria bom poder sentir o vento nos cabelos o tempo todo, o barulho do mar, a areia penicando os pes.. e a risada de uns amigos... ahh.. minha ida seria perfeita se fosse sempre assim.. feita de coisas pequenas com grandes significados!


    Texto doce esse seu... curti, senti e me empolguei na hora de comentar.. ahuahauahauahu

    Bom domingo! Bjokas!

    ResponderExcluir
  7. Delícia de vontade de leveza.
    Traz uma calmaria tão gostosa.

    Belo texto.

    ResponderExcluir
  8. Que texto doce, com gostinho de quero mais!
    Primeira vez que venho aqui e amei, principalmente o nome do blog (O Teatro Mágico *-*)
    Beeijos!
    www.doceilusao.com/

    ResponderExcluir
  9. Eu também quero ser passarinho. Não há nada mais singelo. Além de todo, eles parecem sentir mais a beleza do mundo do que nós, que apenas a contemplamos. Abraços.

    ResponderExcluir
  10. "Voar de cabeça pra baixo e mais nada"
    Que delícia de micro-conto, Nana! Fiquei leve aqui. Tanta doçurinha, tanta leveza, tanta poesia... Você é demais, demais, demais.

    Beijo!

    ResponderExcluir
  11. Lindo demais, Ana. Essa tua leveza com as palavras faz a gente f-l-u-t-u-a-r e querer ser mais leve também.

    beijos

    ResponderExcluir
  12. Quisera eu ser como o vento e por ai voar, eu bem queria viu!
    Adorei amiga!
    Tão leve e tocante ao mesmo tempo!

    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Quisera eu poder voar tão livremente assim! Quem sabe um dia, quem sabe... =)

    ResponderExcluir
  14. Dente-de-leão é tão amor e me lembra tanto a minha infância, que aliado a essas belas palavras e a música de melodia gostosa, me deixaram com um sentimento muito bom.
    Aliás, descobri seu blog por aí, espero que não se importe. Volto mais vezes.
    Um beijo, @pequenatiss.

    ResponderExcluir
  15. quando você conseguir ser dente-de-leão, tu me ensina comofas?

    Beijo doce-doce-doce.

    ResponderExcluir
  16. Ai, Aninha, você descreveu a minha necessidade de todo santo dia. :') Sou uma pessoa que não somente deseja como p-r-e-c-i-s-a ser leve, sentir cada detalhe da vida, do mundo, das coisas.
    Tantas coisas bonitas por aí e a gente cá, trancafiada numa sala cheia de coisas pra fazer, dar conta. Quem dera pudéssemos ser leves todos os dias!
    Lindo o texto!
    E estou com saudades tb!
    O TCC está me consumindo, não me deixa ser leve, rsrsrs.
    Beijos, linda!

    ResponderExcluir
  17. As vezes só o desejo de ser leve assim, já basta pra dessufocar um pouco dessa vida sem pluma, sem rumo.

    ;**

    ResponderExcluir
  18. Chega ser doce, de tão encantador!

    Bom dia.

    ResponderExcluir
  19. Não é passarinho pra cantar mas encanta do mesmo jeito guria. Com teu jeitinho doce de escrever e vontade de nos tocar com coisas boas e bonitas. Eu tenho essa vontade de fugir um pouquinho, me perder no vento, ficar sem preocupações e ambições por um tempo. Não nos custam esses momentos de fuga. Um beijão pra ti, lindona.

    ResponderExcluir

Tempere aqui comigo! :)